Arquivos Mensais: março 2016

Alunos de Computação do Univem apresentam pesquisas em evento internacional

O evento WorldCist – World Conference on Information Systems and Technologies congrega os mais recentes avanços nas áreas de Computação e Sistemas de Informação, mais especificamente no desenvolvimento de tecnologias de gestão da informação e desenvolvimento de sistemas de apoio à decisão.

Pela primeira vez realizado no Brasil, desta vez em Recife/PE, o congresso contou novamente com a publicação e apresentação de trabalhos de alunos e professores dos cursos de Bacharelado em Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem.

Os alunos e pesquisadores do Univem foram representados na ocasião, pelo estudante de Ciência da Computação, Valdir Amâncio Pereira Junior, vinculado ao Grupo de Interação Humano-Computador do Univem (GIHC), integrante do Computing and Information Systems Research Lab (COMPSI), laboratório de pesquisa mantido pelos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação.

Valdir apresentou o trabalho “Towards Semantic Fusion Using Information Quality Awareness to Support Emergency Situation Assessment”, de sua autoria em parceria com Matheus Ferraroni Sanches (aluno de Ciência da Computação do Univem), Prof. Dr. Leonardo Botega (docente de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem) e Caio Saraiva Coneglian (aluno de mestrado da UNESP e ex-aluno de Ciência da Computação do Univem).

worldcist

Aluno Valdir Amâncio Pereira Junior de Ciência da Computação do Univem

Valdir, que também é bolsista de iniciação científica pelo CNPq, explica que seu trabalho busca dar apoio a sistemas de tomada de decisão, mais especificamente sistemas de gerenciamento de emergências. O estudante explica que “o trabalho tem o objetivo de utilizar múltiplas fontes de dados, como denúncias ao 190 ou 193, e integrá-las para obter uma informação única e mais significativa” e que “busca-se também combinar informações com base no significado de cada informação presente em relatos de vítimas a centrais de atendimento emergências”.

O Prof. Dr. Leonardo Botega, orientador do trabalho e coordenador do grupo, acrescenta que “fornecer subsídios para uma melhor tomada de decisão pode ajudar operadores de sistemas de gerenciamento de emergências a melhor entender os eventos que ocorrem em tempo real e apoiar a alocação de recursos para um atendimento mais eficiente”. O professor também argumenta que a publicação e participação de alunos de iniciação científica em grandes eventos solidifica a competência científica da instituição e que tal atividade contribui fortemente para uma formação acadêmica mais completa dos jovens estudantes.

Oportunamente, foi também apresentado o trabalho de Caio Saraiva Coneglian, recente egresso do curso de Ciência da Computação e atual mestrando em Ciência da Informação na Unesp de Marília, intitulado “Ontological Semantic Agent in the Context of Big Data: A Tool Applied to Information Retrieval in Scientific Research”, a publicação é fruto da pesquisa desenvolvida pelo aluno durante a graduação no Univem com auxílio de bolsa-pesquisa da Fapesp, sob orientação do Prof. Dr. Elvis Fusco, docente e coordenador dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem.

O Prof. Elvis lembra que este ano os alunos dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação já tiveram várias publicações internacionais nos eventos:

7th International Conference on Applied Human Factors and Ergonomics;
18th International Conference on Human-Computer Interaction;
IoTBD, International Conference on Internet of Things and Big Data;
4th WorldCist – World Conference on Information Systems and Technologies;
22nd Iberchip Workshop.

Mais informações sobre as pesquisas e publicações dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem podem ser obtidas no site www.compsi.univem.edu.br.

Aluno de Computação publica em evento internacional de microeletrônica

lucasiberchip

O aluno do curso de Ciência da Computação do UNIVEM, Lucas Zanco Ladeira, publicou e apresentou os resultados de sua pesquisa no 22º Iberchip Workshop. Trata-se de um evento internacional de renome e nesta edição foi realizado no Brasil na cidade de Florianópolis entre os dias 28 de fevereiro e 02 de março de 2016.

O Iberchip é um evento anual para pesquisadores acadêmicos e da indústria de países ibero-americanos para a troca de experiências, compartilhamento de conhecimento e estabelecimento de relações para fomentar o desenvolvimento de atividades relacionadas ao campo da microeletrônica e sistemas computacionais embarcados, como explica Lucas em seu primeiro evento internacional.

Orientado pelo Prof. Dr. Fábio Dacêncio Pereira, o trabalho apresentado com o título “Mecanismos de Autenticação em Smart Card utilizando Criptografia Totalmente Homomórfica”, trata-se de mecanismos tecnológicos avançados na área de segurança de informações que garante maior nível de proteção para transações eletrônicas utilizando cartões inteligentes (smart cards). Estes muito utilizados por clientes nas redes bancárias, por advogados para assinar petições eletrônicas e muito outros órgãos de classe.

Este trabalho iniciou no terceiro ano da faculdade com o desenvolvimento de um projeto para criar uma forma segura de executar transações financeiras sem a dependência da Internet.. Durante o projeto foi desenvolvida uma aplicação, para smartcards, capaz de autenticar o usuário do cartão de duas maneiras: biometria digital, e PIN (senha de 8 caracteres). Além disso, para manter os dados transmitidos ao cartão secretos, foi feito o uso de algoritmos e técnicas criptográficas. Seguindo o progresso do projeto foi estudada a capacidade de execução de algoritmos de criptografia homomórfica pós-quânticos em smart cards. Essa área da criptografia é relativamente nova, e está em constante desenvolvimento. Isso possibilitou a melhoria na confidencialidade do dado utilizado na autenticação do usuário.

O trabalho reuniu aspectos relevantes e originais o que despertou interesse de órgão de fomento e a pesquisa recebeu apoio com uma bolsa de iniciação científica da FAPESP.

Neste ano Lucas iniciou o mestrado em Ciência da Computação na Unicamp, que possui nota 7 (máxima) pela avaliação da CAPES. O programa de mestrado possui reconhecimento internacional, e conquistou vários prêmios em projetos de pesquisa desenvolvidos.

O curso de Bacharelado em Ciência da Computação do UNIVEM mantém durante os seus 18 anos de existência a tradição de ingressar seus alunos no cenário da pesquisa científica com o oferecimento de iniciação científica desde o 1º ano, a disponibilização de bolsas CNPq, FAPESP e de outros órgãos de fomento, o estímulo para publicações e participações em eventos nacionais e internacionais e como resultado dessas ações, anualmente um alto índice de alunos ingressam em programas de mestrado e doutorado em instituições como UNICAMP, USP, UNESP e Universidades Federais.

Pós-graduação em Desenvolvimento Web e Aplicativos Móveis

Apresentação do curso de Pós-graduação em Desenvolvimento Web e Aplicativos Móveis do Univem – Turma 2016.

Edição de março/2016 do Jornal do Univem

Ministério da Justiça vai premiar apps móveis contra a corrupção

O Ministério da Justiça abriu um concurso para premiar aplicativos móveis voltados a dar maior transparência aos repasses de recursos públicos – que governo chama de apps para “enfrentamento da corrupção”. Os três aplicativos melhor colocados na seleção vão receber R$ 10 mil. O primeiro colocado terá ainda R$ 30 mil para desenvolver o app.

“O concurso é voltado para desenvolvedores, programadores, projetistas, designers, pesquisadores, enfim, pessoas com afinidade em tecnologia da informação, e que queiram contribuir com seu conhecimento no combate à corrupção, participando, desta forma, da execução de políticas públicas realizadas por meio de convênios e transferências, facilitando o entendimento acerca de dados a elas relacionados e a fiscalização dessa execução de modo colaborativo entre Estado e sociedade”, explica o MJ.

Podem participar equipes formadas por até 5 pessoas – tendo pelo menos uma mulher. As inscrições são feitas pela internet (justica.gov.br/labpi) até 14/4. É preciso apresentar um vídeo de até dois minutos sobre o projeto e um protótipo da solução de software que atenda o edital as premissas colocadas:

  1. a) Tradução dos dados de convênios e transferências para uma linguagem acessível ao cidadão;
  2. b) Possibilidade de seleção, por parte do cidadão, das informações que impactem seu cotidiano;
  3. c) Aumento da participação popular no acompanhamento e fiscalização da execução física das políticas públicas implementadas por meio de convênios e transferências;
  4. d) Utilização, por parte governo, da informação coletiva a ser gerada pela solução.
  5. e) Maior permeabilidade da gestão pública ao desenvolvimento livre e colaborativo, tornando-a mais transparente e acessível.

* Com informações do MJ

Convergência Digital – 01/03/2016

Revista JADI está com chamada para recebimento de artigos

jadi.png

O Centro Universitário Eurípides de Marília (UNIVEM) edita e publica, com acesso livre, o Journal on Advances in Theoretical and Applied Informatics – JADI (ISSN 2447-5033), periódico mantido pelos cursos deCiência da Computação e Sistemas de Informação do Univem.

A revista é produzida pelo COMPSI (Computing and Information Systems Research Lab), laboratório e centro de pesquisa vinculado aos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do UNIVEM.

A Revista JADI é uma publicação científica periódica, com o objetivo de promover a disseminação de informações técnico-científicas produzidas por pesquisadores e profissionais das áreas de Ciências Exatas e Engenharias, atendendo a comunidade acadêmica das diversas instituições nacionais e internacionais.

Informações adicionais e orientações para autores podem ser obtidas na página da revista JADI (www.univem.edu.br/jadi).

Deadline para o próximo número: 28/03/2016

De forma geral, o escopo da revista busca divulgar trabalhos dos seguintes temas:

Novos modelos, arquiteturas, metodologias e frameworks de design de software; Engenharia de software orientada a modelos; Métodos para segurança, manutenção e confiabilidade em software; Arquiteturas de software e metodologias orientadas a qualidade; Novas ferramentas e ambientes para software; Engenharia de software pervasivo, móvel e ubíquo; Software embarcado ou distribuído; Sistemas de tempo-real, dinâmicos, automação e críticos; Abordagens de inteligência artificial e sistemas autônomos; Sistemas de tomada de decisão e ferramentas de suporte; Sistemas, métodos e modelos de gestão de dados, informação e conhecimento; Gestão da qualidade de dados, informações e conhecimento; Gestão de sistemas de informação; Gestão da informação e inteligência competitiva; Sistemas colaborativos e interação humano-computador; Arquiteturas de agentes, multi-agentes, ontologias, linguagens e protocolos; Ferramentas, aplicações e ambientes WEB; Estudos de caso e tecnologias emergentes; Inovação em tecnologia da informação.