Grátis! Oito sites infalíveis para aprender programação por conta própria

Saber uma (ou mais) linguagens de programação pode ser fundamental para seu futuro profissional. Caso queira aprender a codificar, há boas ferramentas online para se aventurar por conta própria e sem gastar nada. Compilamos oito sites com cursos infalíveis para quem busca ampliar horizontes tecnológicos.

Code Academy

Criado em 2011, o foco principal do serviço é ensinar a codificar de forma que isso transforme sua carreira. O site contabiliza diversas histórias de sucesso, convertendo pessoas que sabiam pouco ou quase nada sobre programação e alcançaram uma carreira frutífera em TI. Graças a isso, tornou-se bastante conhecido e respeitado. A ferramenta cobre um amplo espectro de linguagens em aulas interativas: Rails, Angularjs, Rails Auth, The Command Line, HTML & CSS, JavaScript, iQuery, PHP, Python e Ruby. Novos programas são adicionados constantemente, o que vale manter o Code Academy sempre no radar. Inicie criando uma conta gratuita e navegando pelos tutoriais, fóruns e sandboxes, onde é possível testar seus códigos.

Kahn Academy

A Kahn Academy oferece mais do que apenas a programação, afinal, seu slogan é: “você pode aprender qualquer coisa”. Além de matemática, ciências, história, arte e economia (para citar algumas disciplinas), os interessados também podem acessar cursos sobre codificação. O serviço é levado bastante a sério no mundo da educação, mantendo parcerias com instituições como a Nasa e MIT.

Depois de selecionar um dos cursos, o serviço orienta o usuário através de uma série de exercícios, vídeos, jogos e muitos outros recursos que ajudam o participante a dominar as habilidades nas disciplinas.

Entre os cursos focados em programação há possibilidades em SQL, HTML / CSS, JavaScript e muito mais. É um serviço totalmente gratuito, com cursos em cerca de 40 idiomas. Os criadores afirmam que ele será sempre aberto, livre de anúncios, e sem fins lucrativos.

TheCodePlayer

O site pode ser mais indicado para aqueles que têm pelo menos um conhecimento básico de codificação, mas oferece opções únicas para quem quer aprender HTML5, CSS3 e JavaScript. Você pode fazer login e ver pessoas desenvolvendo sistemas a partir do zero, e ver como eles funcionam através de processos próprios. O serviço oferece uma tática diferente em comparação com sites de mesmo propósito que oferecem cursos em moldes mais tradicionais com tutoriais, exercícios e vídeos.

Depois de escolher um passo a passo, você pode alternar as configurações para tornar seus avanços mais rápidos ou mais lentos, dependendo de suas necessidades. Também é possível pausar os tutoriais, bem como alternar entre HTML5, CSS e JavaScript. A maioria dos tutoriais são gratuitos, e se você se inscrever com seu e-mail, pode desbloquear mais orientações e tutoriais sobre o site.

Code School Website

A ferramenta quer ensinar programação na prática. Em outras palavras: os interessados colocarão a mão na massa para dominar a arte do desenvolvimento de software. O método é ótimo para quem gosta de aprender com erros e acertos ao invés de acessar uma bagagem conceitual antes de ir para a prática. Existem diferentes “caminhos” disponíveis e os interessados podem escolher o que segue por Ruby, JavaScript, HTML/CSS, iOS e Git. Há também um caminho “Electives”, que se concentra mais em estratégias de desenvolvimento.

Os cursos tem a intenção de serem divertidos e são projetados de maneira semelhante a um jogo – com um enredo – para ajudar a mantê-lo interessado no curso. Os módulos introdutórios são tipicamente livre, mas quem quiser se aprofundar, precisará assinar o serviço.

HTML5 Rocks

O HTML5 Rocks é um projeto do Google, por isso, se você quer aprender HTML5 a partir da visão de uma das maiores empresas de tecnologia, eis sua oportunidade. O novo padrão de desenvolvimento Web (HTML5, no caso) é uma linguagem valiosa para adicionar ao seu repertório de codificação. Se seu foco o universo móvel, jogos ou negócios, há um curso que irá atender as suas necessidades na ferramenta.

Você pode pesquisar através de tutoriais, conferir as oportunidades e módulos mais recentes e navegar através de uma série de recursos, que lhe ajudarão a começar. A seção de recursos inclui livros, demonstrações, tutoriais, vídeos e muito mais para melhorar a sua experiência de aprendizagem. O site é gratuito, o que significa que não há taxas de assinatura ou conteúdo bloqueado, para que possa começar imediatamente.

Programmr

Programmr é outro grande recurso para aprender fazendo. Enquanto os novatos podem se dirigir ao site para dar os primeiros passos, quem for mais experiente pode usar a ferramenta para praticar habilidades e participar de competições. O site oferece simuladores, que permitem escrever códigos e rodar testes em ambientes móveis, bancos de dados, web e apps.

Os cursos levam os participantes através de um passo a passo no estilo “mão na massa” de maneira gratuita. Trata-se de uma ótima opção para aqueles que têm um conhecimento básico de diferentes linguagens de programação e que quer aprimorar suas habilidades ou pegar um novo idioma. É possível até obter a certificação como especialista em Java, C ++, C #, Python e PHP através de seu progresso em cursos da plataforma.

Code Avengers

Caso queria construir páginas da web, aplicativos ou jogos, o Code Avengers é uma ótima ferramenta para desenvolver suas habilidades. Projetado para iniciantes, cada curso leva apenas 12 horas para ser concluído. A medida que aprende, pode criar app, games e até sites, avançando para além de simples leituras e testando seus conhecimentos na prática. Os cursos de introdução são todos gratuitos, mas obter certo aprofundamento, será preciso pagar uma taxa.

MIT Open Courseware

Quer um carimbo do MIT no currículo? É possível chegar bem perto disso com o curso no Open Courseware, serviço educacional gratuito da universidade com sede em Massachusetts. A instituição decidiu recentemente disponibilizar alguns materiais de seus cursos em plataforma online, permitindo que qualquer pessoa participe de algumas aulas. Há materiais de 2.260 cursos acessíveis.

É possível pesquisar cursos por tópico, e descobrir classes sobre linguagens de programação em níveis de graduação e pós-graduação. As ofertas incluem C++, Java, graphics, animação, fundamentos em ciências da computação e muito mais.

W3 Schools

Esse é um dos sites mais populares para os desenvolvedores web, recebendo nada menos que 40 milhões de visitas por mês. O serviço também oferecem um canal no YouTube onde é possível ver diferentes vídeos sobre linguagens de programação – sendo que alguns desses programas permitem interação com professores por meio dos comentários.

W3 Schools se concentra no ensino de HTML / CSS, JavaScript, HTML Graphics, servidores, desenvolvimento web e tutoriais XML. Tudo o que se quer aprender sobre a codificação reunido em um site. De fato, trata-se de um grande recurso para iniciantes, bem como veteranos olhando para as possibilidades de elevar conhecimentos.

Dentro de tutoriais, é possível encontrar exemplos de códigos que podem ser manipulados e testados em navegadores para ver se tem os comandos no lugar certo. A ferramenta é gratuita e é fácil de navegar para encontrar o conteúdo que se está procurando.

Há também um Programa de Certificação que permite estudar em seu próprio tempo, permitindo que o programa seja concluído em poucas semanas. Os certificados incluem HTML, HTML5, CSS, JavaScript, jQuery, PHP, XML e Bootstrap. Cada certificado custa US$ 95.

Fonte: COMPUTERWORLD EUA

Anúncios

eFinance tem vaga para desenvolvedor .NET

A eFinance Consultoria e Sistemas, empresa sediada em Marilia que atua no desenvolvimento, consultoria e comercialização de soluções administrativas para lojas de móveis planejados, está contratando profissionais de desenvolvimento de sistemas.

Interessados enviar o currículo para rh@efinance.com.br com pretensão salarial.

Características desejadas:

  • Tecnologia
    .NET
    WebServices
    JavaScript
    SQL Server c/ Stored Procedures
  • Disponibilidade para viagens eventualmente
  • Flexibilidade de horário

Acadêmicos do Univem apresentam pesquisas de ponta em congresso nos Estados Unidos

XVII International Conference on Human-Computer Interaction em Los Angeles

conferencia

Aconteceu em agosto nos estados unidos, mais especificamente em Los Angeles/California, a XVII Conferência Internacional de Interação Humano-Computador (XVII International Conference on Human-Computer Interaction).
Trata-se de um dos maiores e mais conceituados eventos desta área e que estuda a relação entre humanos e máquinas, intermediada por sistemas computacionais.

Neste evento, o Univem foi representado por quatro alunos dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação, acompanhados pelo Prof. Dr. Leonardo Botega, coordenador do Grupo de Interação Humano-Computador do Centro de Inovação COMPSI (Computing and Information Systems Research Lab), que realiza pesquisas nesta área na instituição.Os alunos são:

•   Matheus Ferraroni Sanches

•   Valdir Amancio Pereira Junior

•   Jéssica Oliveira de Souza

•   Natália Pereira Oliveira

Na ocasião, os alunos e o docente apresentaram os resultados de pesquisas realizadas no Univem, desenvolvidas em parceria com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), pelo laboratório WINDIS, e com a Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP).

Soluções em monitoramento

Os trabalhos apresentam um conjunto de métodos e ferramentas que juntas compõem uma solução para melhorar sistemas de monitoramento e mapeamento de emergências, tais como os adotados pelas forças de segurança (ex: polícia, bombeiros, etc) . O projeto demonstra como melhorar a inteligência destes sistemas de forma que tarefas de localização de pessoas e objetos de interesse e a logística dos recursos para busca e apreensão sejam realizadas com maior eficácia e eficiência, como por exemplo para obter melhores dados sobre um determinado crime e proporcionar um melhor atendimento à ocorrência.

De acordo com o docente Leonardo Botega, “A apresentação de artigos científicos em um evento internacional contribui de forma expressiva para a formação de jovens pesquisadores” e que “a pesquisa realizada no Univem, mais especificamente no COMPSI, encontra-se na vanguarda da inovação científica e tecnológica, reconhecida internacionalmente por seus resultados significativos para a área de Interação Humano-Computador”.

Veja os artigos apresentados pelos pesquisadores do Univem nos Estados Unidos:

Evento: 17th International Conference on Human-Computer Interaction

Quando: De 2 a 7 agosto de 2015

Onde: Universidade da Califórnia, Los Angeles (EUA)

Artigos, autores e universidades envolvidas:

A Head-Up Display with Augmented Reality and Gamification for an E-Maintenance System: Using interfaces and Gamification to motivate workers in procedural tasks

Autores: Allan Oliveira (docente UNIVEM e pesquisador UFSCar), Nahana Caetano, Leonardo Castro Botega  (professor de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do UNIVEM), Regina Borges de Araujo(pesquisadora UFSCar)

Conceptual Framework to Enrich Situation Awareness of Emergency Dispatchers

Autores: Jessica Souza (aluna de Sistemas de Informação do UNIVEM), Leonardo Castro Botega (professor de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do UNIVEM), José Eduardo Santarem Segundo(pesquisador USP), Claudia Beatriz Berti (pesquisadora UFSCar), Márcio Roberto de Campos (pesquisador UFSCar e membro da PMESP), Regina Borges de Araujo (pesquisadora UFSCar)

Multi-criteria Fusion of Heterogeneous Information for Improving Situation Awareness on Emergency Management Systems

Autores: Valdir Junior (aluno de Ciência da Computação do UNIVEM),Matheus Ferraroni Sanches (aluno de Ciência da Computação do UNIVEM), Leonardo Castro Botega (professor de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do UNIVEM), Jessica Souza (aluna de Sistemas de Informação do UNIVEM), Caio Saraiva Coneglian (aluno de Ciência da Computação do UNIVEM), Elvis Fusco (professor de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do UNIVEM) , Márcio Roberto de Campos(pesquisador UFSCar e membro da PMESP)

SAW-Oriented User Interfaces for Emergency Dispatch Systems

Autores: Leonardo Castro Botega (professor de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do UNIVEM), Lucas Cesar Ferreira (aluno de Ciência da Computação do UNIVEM), Natália Oliveira (aluna de Sistemas de Informação do UNIVEM), Allan Oliveira (pesquisador UFSCar), Claudia Beatriz Berti (pesquisadora UFSCar), Vânia Paula de Neris (pesquisadora UFSCar), Regina Borges de Araujo(pesquisador UFSCar)

 Uncertainty Visualization Framework for Improving Situational Awareness in Emergency Management Systems

Autores: Natália Oliveira (aluna de Sistemas de Informação do UNIVEM), Leonardo Castro Botega (professor de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do UNIVEM), Lucas Ferreira (aluno de Ciência da Computação do UNIVEM), Márcio Roberto de Campos(pesquisador UFSCar e membro da PMESP)

FAPESP abre chamada de propostas para incentivo à Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas

A FAPESP lança chamada de propostas para o 4º Ciclo de Análise de 2015 do Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE).

Estão reservados até R$ 15 milhões para atendimento às propostas selecionadas. O prazo final para submissão de projetos no SAGe é dia 3 de novembro de 2015.

As propostas de financiamento devem conter projetos de pesquisa que possam ser desenvolvidos em duas etapas: 1) demonstração da viabilidade tecnológica de produto ou processo, com duração máxima de nove meses e recursos de até R$ 200 mil; 2) desenvolvimento do produto ou processo inovador, com duração máxima de 24 meses e recursos de até R$ 1 milhão.

Quando os proponentes já tiverem realizado atividades tecnológicas que demonstrem a viabilidade do projeto, podem submeter propostas diretamente à Fase 2.

Podem apresentar propostas pesquisadores vinculados a empresas de pequeno porte (com até 250 empregados) com unidade de pesquisa e desenvolvimento no Estado de São Paulo.

As normas para submissão de propostas estão disponíveis em: www.fapesp.br/pipe.

A FAPESP divulgará o resultado enviando a cada proponente os pareceres técnicos dos avaliadores. Os pareceres podem ser úteis para o aperfeiçoamento da proposta, seja ela aprovada ou não. Em caso de não aprovação, o proponente poderá aperfeiçoar a proposta, corrigindo as falhas apontadas, e submeter nova solicitação em edital subsequente.

A chamada para o 4º ciclo de 2015 está publicada em: www.fapesp.br/9658.

Para atender os interessados em participar da chamada, será realizada no dia 25 de setembro, das 9h às 12h, no Auditório da FAPESP, uma reunião técnica sobre Apoio à Pesquisa para Inovação na Pequena Empresa.

O workshop é gratuito. Inscrições em: www.fapesp.br/eventos/pipe4_2015. Mais informações sobre o evento: (11) 3838-4216.