Inscrições para o Programa de Iniciação Científica até 16 de Junho

O que é Iniciação Científica (IC)?

A Iniciação Científica (IC) caracteriza-se por ser uma atividade de ação pedagógica transformadora enquanto instrumento de apoio teórico e metodológico na realização de projeto de pesquisa. Constitui um canal adequado de auxílio para proporcionar ao aluno a formação de uma mentalidade de articulação e organização de conhecimentos, honestidade intelectual e agente político promotor de cultura. No UNIVEM a IC é possível por meio do Programa de Iniciação Científica (PIC).

Quem pode participar do PIC?

Conforme o artigo 21 do Regulamento do PIC, os requisitos para desenvolver pesquisa de iniciação científica no UNIVEM são:
1) Ser aluno regularmente matriculado em curso de graduação ou superior de tecnologia do UNIVEM;
2) Apresentar projeto de pesquisa em formulário próprio compatível com os objetivos da IC, vinculado às linhas de pesquisa do seu curso de graduação ou a alguma disciplina dos cursos superiores de tecnologia e com aval de um orientador capacitado para orientação na área proposta;
3) Ter disponibilidade de horário de, no mínimo, 8 horas semanais, no caso de projeto sem concessão de bolsa e 20 horas semanais no caso de projeto com concessão de bolsa;
4) Não estar no último ano do curso de graduação, quando da realização da Iniciação Científica;
5) No caso de projeto com concessão de bolsa, não possuir vínculo empregatício e/ou outras bolsas internas ou externas à Instituição.
Parágrafo Único – Estão excluídos da exigência do item 4 os alunos que, tendo realizado iniciação científica em anos anteriores e cumprido as exigências do presente Regulamento, solicitem prorrogação de seu projeto com a devida anuência de seu orientador.

Quem pode orientar IC?

Professores com titulação, no mínimo, de mestre (ou mestrando). Cada professor orientador possui uma cota máxima de 6 orientações anuais para projetos de IC.
Para solicitações de bolsas de IC ou IT o orientador deve ser Doutor (verificar o edital específico).

Quais as etapas da IC?

1) Procurar um professor (mestre ou doutor) do curso e conversar sobre a preparação do projeto.
2) Envio da proposta de IC pela área do aluno (inscrição): final do semestre.
3) Início do PIC (para os projetos aprovados): início do semestre seguinte ao de submissão.
4) Entrega de Relatório Parcial: final do semestre seguinte ao de submissão. Obs. Caso o aluno não realize a entrega do Relatório Parcial ou o professor não aprove o relatório apresentado, o aluno estará automaticamente desligado do programa de IC.
5) Entrega do Artigo Científico e, se for o caso, pedido de prorrogação da pesquisa: Semestre seguinte ao da entrega do Relatório Parcial.
6) Apresentação dos resultados da IC no Congresso de Pesquisa: novembro do ano em que o aluno participa do Programa de Iniciação Científica (PIC).

Resumo das etapas obrigatórias do PIC:

PIC: duração de 2 semestres
Preparação do projeto e contato com professores
Durante o semestre letivo
Inscrição no PIC
Final do semestre letivo
Inicio no PIC
Inicio do semestre seguinte ao de submissão (semestre 1)
Relatório Parcial
Final do semestre seguinte ao de submissão (semestre 1)
Apresentação no Congresso de Pesquisa
Novembro do ano de participação no programa
Entrega do Artigo e Relatório Final
Final do semestre seguinte ao de entrega do Relatório Parcial (semestre 2)
Importante: Inscrição da proposta, preenchimento dos relatórios parcial e final e anexo do artigo científico deverão ser realizados pela área do aluno, por meio do AMBIENTE NAPEX.
Como preparar o projeto?
Para submissão do projeto de Iniciação Científica, o aluno deverá utilizar o AMBIENTE NAPEX, disponível pela área do aluno.
Estrutura básica do projeto de Iniciação Científica:
– Tema (Título do Projeto): O título deve indicar o assunto do trabalho.
– Introdução: Exposição do conhecimento que o candidato já tem do assunto; por quem o tema já foi pesquisado (síntese da bibliografia fundamental.
– Problema: O problema pode ser formulado como uma pergunta e deve: ser delimitado a uma dimensão viável; ter clareza; ser preciso; e, apresentar referências empíricas.
– Hipótese: As hipóteses constituem “respostas” supostas e provisórias ao problema
– Objetivo Geral: Para quê? Ligado a uma visão global e abrangente do tema. O que se pretende alcançar com a pesquisa? Pode ser iniciado com um verbo de ação.
– Objetivos Específicos: Objetivos secundários, mas não menos importantes. Apresentam caráter mais concreto. Visa definir a contribuição que pretende trazer)
– Justificativa: Razões que justifiquem a pesquisa; relevância do tema; em que a pesquisa contribuirá para o avanço do conhecimento sobre o tema.
– Metodologia: Métodos de investigação e técnicas de coleta e de análise dos dados pesquisados.
– Cronograma: Computar o prazo de 1 (um) ano, a contar da elaboração do projeto.

– Bibliografia: A utilizada para a redação do projeto e apresentada de acordo com as normas da ABNT.

FONTE: UNIVEM

Pesquisa e Extensão

Programas de Bolsas

Modalidades:

PIBIC – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica
CNPq/UNIVEM
Processo Seletivo PIBIC 2013-2014 Inscrições até 09/06/2013
Finalidade:
O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC, é um programa voltado para o desenvolvimento do pensamento científico e iniciação à pesquisa de estudantes de graduação do ensino superior.
Principais objetivos:
– Contribuir para a formação de recursos humanos para a pesquisa;
– Possibilitar maior interação entre a graduação e a pós-graduação;
– Proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o desenvolvimento do pensar cientificamente e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa.

PIBITI – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação
CNPq/UNIVEM
Processo seletivo PIBITI 2013-2014 Inscrições até 09/06/2013
Finalidade:
O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação – PIBITI visa estimular estudantes do ensino técnico e superior ao desenvolvimento e transferência de novas tecnologias e inovação.
Principais objetivos:
– Contribuir para a formação de recursos humanos para atividades de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação.
– Contribuir para a formação de recursos humanos que se dedicarão ao fortalecimento da capacidade inovadora das empresas no País.
– Incentivar as instituições à formulação de uma política de iniciação em atividades de desenvolvimento tecnológico e inovação.
– Proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa tecnológica, bem como estimular o desenvolvimento do pensar tecnológico e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa.

FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo
Modalidade Iniciação Científica
Informações em: www.fapesp.br/
FONTE: UNIVEM

Flisol 2013 no Univem

4

Pelo terceiro ano consecutivo, o Festival Latino-Americano de Instalação de Software Livre (Flisol) teve Marília como uma de suas sedes.

A organização esteve por conta do COMPSI (Computing and Information Systems Research Lab), núcleo de pesquisa e tecnologia ligado aos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem.

Realizado no dia 27 de abril, em mais de 80 cidades brasileiras e em vários outros países latino-americanos, o Flisol é o maior evento de disseminação da cultura dos padrões abertos do mundo. O dia será recheado de palestras, oficinas e debates, além da instalação gratuita de programas livres nos computadores dos participantes.

A comissão organizadora do Flisol 2013 contou com a coordenação geral do professor Leonardo Botega. Também integraram a comissão os professores Elvis Fusco, Rodolfo Barros Chiaramonte, Fábio Dacêncio Pereira, João Cardia e Danilo Magrini.

O dia contou com uma palestra (“Iniciativas Open-Source e Interoperabilidade da Microsoft”, com Vinícius Souza, da Microsoft Brasil), oficinas (sobre “Introdução ao controle de versão com GIT” e “Segurança com chaves assimétricas usando GnuPG”), além de minicursos (sobre “Introdução ao desenvolvimento Android”, “Programação Python”, “Ruby on Rails” e “Programação modular com Java”.

O Flisol também contou com o Inst Fest, com a instalação e distribuição de software-livre (Linux e ferramentas livres).

FONTE: Jornal Univem

Microsoft AppDay no Univem

3

No dia 20 de abril, a comunidade de desenvolvedores e entusiastas por tecnologia do país foi convidada a participar do Microsoft AppDay.

No Univem, o evento foi organizado pelos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação e aconteceu durante todo o dia, nos laboratórios da instituição. Puderam participar todos os interessados em submeter um aplicativo para dispositivo móvel (ts e smartphones) para a Windows Store. O desenvolvedor recebeu o treinamento presencialmente, ministrado por webcast pelo time da Microsoft Brasil e outros profissionais habilitados, com certificado ao final.

Os participantes que desenvolveram e publicaram seu aplicativo terão os nomes expostos em uma galeria especial, na página da Microsoft, chamada “H da Fama”.

FONTE: Jornal Univem

Doutorado na Inglaterra

2

Ex-aluno de Ciência da Computação ficará um ano na Universidade de Lancaster

Douglas Rodrigues está há poucas semanas na Inglaterra. Durante um ano, vai dar prosseguimento à sua pesquisa de doutorado na Universidade de Lancaster, no noroeste do país.

Graduado em Ciência da Computação pelo Univem, em 2008, Douglas decidiu investir num dos elementos que mais haviam chamado sua atenção durante o curso: a pesquisa.

“A graduação contribuiu para que eu tivesse uma visão crítica da área, pois pude aprender com ótimos professores, a maior parte deles doutores, e isso despertou em mim uma profunda admiração pela ciência”, diz o ex-aluno. Sua orientadora durante as pesquisas de iniciação científica, a Profª. Drª. Kalinka Regina Lucas Jaquie Castelo Branco, à época docente no Univem, acabou sendo sua orientadora no mestrado, feito no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, e no doutorado que está cursando na mesma instituição.

A dissertação de mestrado, defendida em 2011, foi relacionada à implementação e avaliação de desempenho da segurança em serviços Web, como criptografia e assinatura digital. No doutorado, ele está pesquisando os VANTs (Veículos Aéreos Não Tripulados). Ele explica que o objetivo é utilizar a experiência adquirida com os serviços Web nesse tipo de aeronave, aumentando o “conhecimento” do piloto automático de forma dinâmica, permitindo-lhe tomar as melhores decisões, de acordo com cada tipo de missão.

 

Ciência sem fronteiras

Na Universidade de Lancaster, Douglas pretende dar prosseguimento à pesquisa, sendo supervisionado por Geoff Coulson, pesquisador e diretor da School of Computing and Communications da instituição. “Ele vai contribuir com sua experiência nessa área de pesquisa, auxiliando no desenvolvimento do projeto e na obtenção de resultados relevantes”, comenta.

De volta ao Brasil, daqui a um ano, Douglas já estará com a tese praticamente pronta para defesa.

A viagem à Inglaterra foi possível após a obtenção de uma bolsa no programa Ciência sem Fronteiras, iniciativa conjunta do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento, o CNPq e a CAPES.

 

Agradecimentos

Douglas dirige especiais agradecimentos à sua orientadora, professora Kalinka, que o acompanha desde a graduação no Univem até o doutorado, e aos demais professores, pela qualidade do curso e estímulo à pesquisa. À instituição, agradece pela bolsa de estudos concedida e pela boa infraestrutura disponível.

Agradece, também ao programa Ciência sem Fronteiras e ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Sistemas Embarcados Críticos (INCT-SEC) pela bolsa concedida.

O Univem deseja muita sorte ao seu ex-aluno. Que tenha uma ótima jornada em Lancaster e uma vibrante carreira no Brasil.

FONTE: Jornal Univem

Projeto de ex-aluno está na final do Ericsson Application Award

1

Aos 24 anos, Rodrigo Rosalin Alves Ferreira já tem uma bagagem profissional considerável.

Graduado em Ciência da Computação pelo Univem em 2010, pouco tempo depois ele criou a Neemo, empresa de software que desenvolve produtos para diversas plataformas, como Web, Android, iOS, BlackBerry, utilizando linguagens de programação como Python, Ruby on Rais, Objective-C, Java.

Perseverante, no início o jovem empreendedor saiu em busca de parcerias e começou a desenvolver projetos. A conquista de uma parceria comercial com a TOTVS, considerada a maior empresa de desenvolvimento de softwares ‘business to business’ no Brasil, e a realização de projetos de software livre com a empresa Ascync Open Source fizeram a Neemo deslanchar.

Há cerca de seis meses, a Neemo iniciou um projeto de segurança pessoal para dispositivos móveis e decidiu inscrevê-lo no ‘Ericsson Application Awards’ evento de âmbito internacional que projeta desenvolvedores e empresas no mundo das telecomunicações.

O evento possui duas categorias: Estudantes e Empresas. “Participamos na categoria Empresa, concorrendo com pequenas e médias empresas de vários países, e fomos selecionados entre os cinco semifinalistas”, comemora Rodrigo. Todos os detalhes do evento podem ser acompanhados em http://www.ericssonapplicationawards.com/.

Outras atividades

Rodrigo é diretor de Relações Institucionais da Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação (ASSERTI), entidade presidida pelo Prof. Dr. Elvis Fusco, coordenador dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do UNIVEM.

Depois de formado, Rodrigo já ministrou alguns minicursos aos estudantes do Univem, geralmente sobre desenvolvimento de aplicativos móveis com Android

A Neemo

Sediada em Gália, a Neemo conta com clientes em vários estados do país. Uma das características da empresa é a iniciativa Open Source. A Neemo colabora com projetos como Spree E-commerce, Stoq (Sistema de Gestão Comercial Open Source) e outros. Para saber mais sobre a empresa, visite http://www.neemo.com.br.

FONTE: Jornal Univem

13 sites com cursos online sobre programação e tecnologia

Abaixo segue uma lista de sites com cursos online de programação, tecnologias para desenvolvimento de software e disciplinas de Ciência da Computação.

#1 – Codecademy  – http://www.codecademy.com/

Conteúdo:  JavaScript, HTML/CSS, PHP, Python, Ruby, APIs

#2 – Codeschool – http://www.codeschool.com/

Conteúdo:  Javascript, HTML5, CSS3, Ruby, iOS, Git, Agile, jQuery, CoffeScript

#3 – ShowMeDo –http://showmedo.com/

Conteúdo: Python, Java, C++, Ruby on Rails, Perl, Javascript, Django, Linux, etc.

#4 – Treehouse – http://teamtreehouse.com/

Conteúdo:  HTML/CSS, HTML5, Javascript, jQuery, PHP, Ruby on Rails, Banco de Dados, Conceitos de Programação, SQL, Objective-C, Android

#5 – Udacity – http://www.udacity.com/

Conteúdo: Java, Algoritmos, HTML5, Teste de Software, Inteligência Artificial, WebGL, Programação Paralela, Robótica, Criptografia

#6 – Rubymonk – http://rubymonk.com/

Conteúdo: Ruby on Rails

#7 – edX – https://www.edx.org/

Conteúdo: SaaS, Introdução à Programação, Fundamentos da Computação Gráfica

#8 – Coursera – https://www.coursera.org/

Conteúdo: Baseado em cursos de Universidades: Redes de Computadores, Criptografia, Arquitetura dos Computadores, Inteligência Artificial, Introdução à Programação, Redes Neurais, Teoria dos Jogos, Robótica, Algoritmos, Compiladores, IHC, Python, Banco de Dados, etc.

#9 – Try Ruby – http://tryruby.org

Conteúdo – Ruby

#10 – Skillshare – http://www.skillshare.com

Conteúdo – Arduino, Introdução à Programação, HTML/CSS, Unity, etc.

#11 – Programr – http://www.programr.com

Conteúdo: Java, C++, PHP, C#, Ruby, Python, Andoird, iOS, J2EE, JavaScript, AJAX, SQL

#12 – Khan Academy – http://www.khanacademy.org/science/computer-science

Conteúdo: Disciplinas de Ciência da Computação

#13– Stanford University – http://www.stanford.edu/class/cs193p/cgi-bin/drupal/

Conteúdo: iOS

Smart Sistemas tem 2 vagas para Analista de Suporte Nível 1

DESCRIÇÃO DA VAGA:

  • Atendimento receptivo ou ativo de clientes em sistema de gestão administrativa por telefone ou meios tecnológicos
  • Testes operacionais de rotinas de sistema de gestão administrativa
  • Documentação de rotinas de sistema de gestão administrativa
  • Atualização de sistema de gestão administrativa em clientes utilizando meios tecnológicos

REQUISITOS:

  • Conhecimento operacional em informática
  • Conhecimento em processos gerenciais e administrativos

BENEFÍCIOS:

  • Salário compatível com função
  • Assistência médica com coparticipação
  • Seguro de vida em grupo
  • Auxilio creche

CONTRATAÇÃO:

  • 02 VAGAS
  • CLT (Efetivo)
  • 40 horas semanais

Os interessados deverão enviar currículo para o e-mail: smart@smartsistemas.com.br.