Arquivos Mensais: junho 2012

Alunos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação são contemplados com bolsas CNPq

Foi divulgado o resultado do processo seletivo para bolsas  PIBIC – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica e PIBIT – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do CNPq no período de 2012/2013.

Atualmente o Univem oferece 5 bolsas PIBIC e 2 bolsas PIBITI, dos selecionados no programa PIBIC/Univem, 3 são alunos dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informaçãoe no programa PIBITI/Univem, as 2 bolsas ficaram com alunos de Ciência da Computação.

Os alunos contemplados desenvolverão suas pesquisas nos laboratórios do COMPSI que conta atualmente com outros alunos, pesquisadores e docentes em projetos de iniciação científica, TCC e vinculados a empresas.

Alunos contemplados – PIBIC

  • ALEXANDRE INGLES DA SILVA (Ciência da Computação)
  • ALLAN MARIANO DE SOUZA (Ciência da Computação)
  • JÉSSICA OLIVEIRA DE SOUZA (Sistemas de Informação)

Alunos contemplados – PIBITI

  • RENAN AVANSI MARQUES (Ciência da Computação)
  • THALES SEITI SAKANO MACHADO (Ciência da Computação)
Anúncios

Univem marca presença em Simpósio de Realidade Virtual no Rio de Janeiro

O Univem foi representado no XV Simpósio de Realidade Virtual e Aumentada (SVR 2012) com um artigo escrito por  Fábio Rodrigues (aluno do 4º ano de Ciência da Computação), em parceria com o professor Leonardo Botega, Fernando Sato (ex-aluno de Ciência da Computação e atual  mestrando na UFSCar) e Allan de Oliveira (colaborador do laboratório Windis/UFSCar).

O artigo intitula-se “Framework de Integração de Realidade Aumentada e Interfaces Tangíveis para Ampliação da Interação do Usuário”.  O SVR e o WRVA (Workshop de Realidade Virtual e Aumentada) são as maiores conferências em Realidade Virtual e Realidade Aumentada no Brasil patrocinadas pela SBC (Sociedade Brasileira de Computação). Esse ano aconteceu em Niterói no Rio de Janeiro realizado no Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes) localizado no campus da UFRJ.

O evento foi promovido pela UFF (Universidade Federal Fluminense) em parceria com a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e com a Petrobrás e reuniu pesquisadores, estudantes e outros profissionais das áreas acadêmicas, industrial e comercial interessados nos avanços e nas aplicações da RV e RA.

O Prof. Leonardo diz que o evento visa reunir pesquisadores, promovendo a troca de experiências e facilitando a interação entre grupos de pesquisa, criando melhores condições para novos grupos de pesquisa inter-institucionais, bem como trabalhando como instrumento para exibição dos avanços da Realidade Virtual e Aumentada no Brasil e no mundo.

Fábio conta que o evento foi muito bom para saber se pesquisas realizadas na instituição estão atualizadas. Se os assuntos que estamos abordando são bem vistos pelo meio acadêmico, completou.

Fábio atualizou seus conhecimentos com mini-cursos e também fez network “peguei contato de várias pessoas e empresas que trabalham na área” disse.

Historicamente o UNIVEM, dentre alunos e docentes, já publicou aproximadamente 40 artigos entre esses dois eventos (SVR e WRVA) sendo que a segunda edição deste evento aconteceu em Marília no UNIVEM, em 1999.

O professor Leonardo trouxe uma novidade do evento que o coordenador dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem, professor Dr. Elvis Fusco comemora: “em 2014 teremos o privilégio de sediar o XI WRVA (Workshop de Realidade Virtual e Aumentada), trazendo visibilidade ao COMPSI e UNIVEM, além de consolidar definitivamente essa área de pesquisa em nossa instituição”.

Foto: professor Leonardo Botega e o aluno Fábio Rodrigues no CENPES no Rio de Janeiro.

Univem promove III Maratona de Programação

Aconteceu neste sábado (02/06) no UNIVEM, a III Maratona de Programação, competição anual promovida pelos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação da instituição. A organização da maratona está sob responsabilidade do COMPSI (Computing and Information Systems Research Lab).

A competição promove nos alunos a criatividade, a capacidade de trabalho em equipe, a busca de novas soluções de software e a habilidade de resolver problemas sob pressão.

Durante 3 horas as equipes têm que resolver o maior número possível dentre 5 problemas propostos. A prova é totalmente prática e cada equipe tem um computador a sua disposição para a realização dos problemas que podem ser implementados nas linguagem C ou Java.

Nesta terceira edição, a competição contou com 7 equipes formadas por alunos dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação. A competição seleciona as equipes que vão representar o Univem na Maratona de Programação 2012 da Sociedade Brasileira de Computação (SBC).

O ambiente computacional para a realização da prova é baseado no sistema operacional Linux e faz uso do software BOCA (http://maratona.ime.usp.br/manualBOCA.html) que é um software criado para controlar uma competição nos moldes da Maratona de Programação da SBC.

Nesta edição da maratona o grau de competitividade foi muito grande. Dos 5 problemas propostos, 4 foram resolvidos por 4 das equipes, sendo o tempo o segundo critério de desempate. Ainda assim, o segundo e o terceiro lugar empataram no tempo e a decisão foi pelo número de submissões erradas.

Os integrantes das equipes melhores colocadas são:

1° Lugar – Nota Vermelha:
Allan Mariano de Souza (3BCC)
Éttore Leandro Tognoli (4BCC)
Otávio Guilherme Arruda dos Santos (3BCC)

2° Lugar – U.R.S.O.
Alexandre José Dutra Gomes (4BCC)
Fábio Rodrigues Jorge (4BCC)
Filipe Ravagnã Piga (4BCC)

3° Lugar – Blue Screen
Caio Saraiva Coneglian (2BCC)
Renan Avansi Marques (2BCC)
Victor Ubiracy Borba (2BCC)

O resultado final pode ser visualizado aqui: Detailed Scoreboard – 3ª Maratona de Programação do Univem

Fotos do evento: http://www.flickr.com/photos/compsi/sets/72157630044843272/show

Univem expôs tecnologia e informação na Feira de Profissões do Cristo Rei

O Univem esteve presente na 3ª edição da Feira de Profissões do Colégio Cristo Rei, realizada nos dias 24 e 25 de maio, com muita tecnologia, informações sobre seus cursos, pequenos cursos e oficinas.

No estande institucional, além da presença dos professores e alunos, houve também uma programação bem diversificada para quem quisesse conhecer, por exemplo, um pouco mais sobre fotografia digital, ou mesmo pegar dicas sobre como controlar a mesada e fazer um pé de meia para o futuro profissional.

O Prof. Ms. Eduardo Rino, coordenador do Instituto Superior de Tecnologia (IST) do Univem, ministrou palestra sobre orçamento pessoal, um estudo e planejamento sobre como administrar a mesada, investindo no lazer, no pagamento das continhas pessoais, mas já se preparando para a entrada em um curso superior, em que o cenário muda totalmente e outros itens passam a fazer parte da planilha pessoal. Os participantes viram como é importante saber administrar o dinheiro, considerando uma série de itens que estão diretamente ligados com a realidade do curso superior, como, por exemplo: o transporte, a alimentação, a aquisição de livros básicos, que passarão a compor uma pequena biblioteca pessoal, fonte permanente de consulta.

O Prof. Dr. Elvis Fusco, coordenador dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem, ministrou a palestra “As áreas de atuação do profissional de TI”. Ele destacou o perfil desejado do aluno e do profissional de Tecnologia da Informação, cenários do mercado de trabalho e oportunidades. “Procurei mostrar que esta é uma área que registra um alto déficit de profissionais, com uma grande demanda por gente qualificada”, disse.

Já o professor Fábio Borgues ministrou uma oficina sobre fotografia digital, abordando conceitos básicos da fotografia, como luz, enquadramento, flash, fotografia digital x fotografia analógica.

Alunos dos cursos de Design de Interiores encarregaram-se da decoração do estande, que contou com fotos produzidas por eles, mostrando propostas de projetos de decoração e de paisagismo, focando a funcionalidade de ambientes de trabalho ou residencial, em plena sintonia com a sustentabiliddade. Os alunos do curso de Design Gráfico expuseram fotos com imagens capturadas no próprio evento, utilizando e demonstrando os recursos do programa Photoshop.

Mesa interativa

Um dos destaques da participação do Univem na Feira de Profissões do Cristo Rei foi a mesa de interface tangível, desenvolvida por alunos e docentes vinculados ao Compsi (Computing and Information Systems Research Lab), núcleo ligado aos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem.

Através da mesa, os visitantes puderam pesquisar os cursos oferecidos pelo Univem e, também, acessar o Mapa Turístico de Marília, conhecendo detalhes e curiosidades sobre a cidade. Ivan Evangelista Júnior, chefe de gabinete e gerente de Marketing do Univem, também membro associado do Marília Convention Bureau, conta que o mapa da cidade foi digitalizado e incrementado com fotos de alguns pontos turísticos de sua autoria, como a represa Cascata, prédios históricos, aeroporto, rodoviária e outros. “Ao tocar nos pontos indicados, os visitantes puderam conhecer os encantos de Marília, tudo com a mais moderna tecnologia, desenvolvida pelos nossos alunos e professores”, destaca Ivan.

A mesa de interface tangível é parte de uma pesquisa desenvolvida no Compsi desde 2010, sob a coordenação do Prof. Ms. Leonardo Botega. Envolve alunos da graduação e é mantida em colaboração com o laboratório WINDIS (Wireless Networks and Distributed Interactive Simulations), do Departamento de Computação da UFSCar, no qual o docente do Univem desenvolve seu doutorado.

Impulso ao uso do software livre – FLISOL

Univem consolida-se como centro de divulgação na região. Flisol teve realização simultânea em 20 países

Pelo segundo ano consecutivo, o Festival Latino-Americano de Instalação de Software Livre (Flisol) teve Marília como uma de suas sedes. A organização ficou por conta do COMPSI (Computing and Information Systems Research Lab), núcleo de pesquisa e tecnologia ligado aos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem.

Realizado no dia 28 de abril, simultaneamente no Brasil e outros 19 países latino-americanos, o Flisol é o maior evento de disseminação da cultura dos padrões abertos do mundo. No Univem, contou com cerca de 200 participantes, dentre eles alunos de diversas instituições, docentes, profissionais e entusiastas do software livre. Foi um dia recheado de palestras, oficinas e debates, além da instalação gratuita de programas livres nos computadores dos participantes.

O Prof. Ms. Leonardo Botega, da comissão organizadora, faz um balanço positivo do evento. “Atingimos nichos acadêmicos e de mercado, com grande interesse em buscar alternativas aos softwares pagos de uso cotidiano, e pudemos esclarecer os pontos positivos em optar por tais tecnologias”, diz.

O Prof. Dr. Elvis Fusco, coordenador dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem, concorda com Leonardo. “Conseguimos dar um passo além na disseminação dos padrões livres”, destaca. Ele lembra que, por trás do software livre não existe uma corporação, mas sim uma comunidade voluntária, na qual todos compartilham a cultura da inteligência coletiva.

O evento teve início com a palestra “Como contribuir com projetos de software livre”, ministrada por Luciana Fujii (Collabora e Gnome Foundation). Houve minicursos e oficinas, alguns oferecidos por alunos do Univem.

“A experiência que ganhei ao dar o curso, assim como já ocorreu em outras oportunidades, como a Semana de Tecnologia, no ano passado, é algo muito importante para a carreira que penso em seguir”, testemunha Fábio Rodrigues Jorge, do quarto ano de Ciência da Computação, que ministrou o minicurso “Introdução à linguagem Python”.

Os amigos Rafael Luiz de Macedo e Ivan Sakai, respectivamente do terceiro e quarto anos de Ciência da Computação, vivenciaram a mesma experiência. Eles foram responsáveis pelo minicurso “Ferramenta livre de Educação à Distância – Moodle”.

A aluna Ana Júlia Soares de Souza, do terceiro ano de Ciência da Computação, participou do minicurso “Introdução ao desenvolvimento com Arduino”. Para ela, que ainda não conhecia o software, foi “uma ótima oportunidade de aprendizado”.

Install Fest
Realizado paralelamente aos minicursos e oficinas, nos laboratórios do COMPSI, o Install Fest abriu espaço para que os participantes levassem seus equipamentos e, com a ajuda de especialistas, de forma legal e gratuita, instalassem softwares das mais variadas funcionalidades.

COMPSI completa dois anos e comemora objetivos alcançados

Criado em 2010, o Computing and Information Systems Research Lab (COMPSI), núcleo de pesquisa e tecnologia ligado aos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem, chega aos dois anos em maio, repleto de realizações e objetivos alcançados.
Com seu conjunto de laboratórios, pesquisadores e expertise, o COMPSI vem se integrando e contribuindo para as atividades do Núcleo de Apoio à Pesquisa e Extensão (NAPEx). Além do fomento à pesquisa, gera projetos de software e hardware com vínculo no mercado, colocando os alunos em situações profissionais reais, propicia cooperação com outros laboratórios de pesquisa, estimula parcerias com empresas públicas e privadas no desenvolvimento de software, promove treinamentos corporativos e busca recursos em órgãos como Fapesp, CNPq e outros.

Pesquisa e inovação

“Um dos objetivos do COMPSI é estimular projetos de pesquisa e inovação com empresas privadas, ajudando-as no desenvolvimento de tecnologias estratégicas em seus negócios”, ressalta o Prof. Dr. Elvis Fusco, coordenador dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem.

Neste contexto, atualmente há uma parceria com o Grupo Jacto, de Pompéia. Alunos do Univem e funcionários da empresa estão desenvolvendo nos laboratórios do COMPSI um projeto na área de Interfaces Computacionais, que envolve a criação de um software para implementar um middleware, que utiliza a interação natural de gestos e fala com os navegadores de Internet convencionais, projeto sob coordenação do professor Leonardo Botega.

O COMPSI tem estimulado os alunos desde os primeiros anos a ingressarem no universo da pesquisa por meio de projetos de iniciação científica. Vários têm sido contemplados com bolsas PIBITI e PIBIC (do CNPq) e FAPESP.

“Mais do que o ganho econômico, as bolsas representam aos alunos um grande estímulo para o aprofundamento teórico sobre os temas estudados, construção de novos conhecimentos, aprimoramento da formação pessoal. Estudantes que usufruem bolsas de pesquisa amadurecem habilidades de estudos, pesquisas e produção científica, aumentando suas chances de sucesso na vida profissional”, enfatiza a Profª. Drª. Raquel Cristina Ferraroni Sanches, pró-reitora de Graduação do Univem.

Como consequência dessas ações, anualmente os alunos têm publicado os resultados de suas pesquisas em eventos de renome nacional e internacional. Em 2012, o curso de Ciência da Computação será contemplado com a ida da aluna Maria Carolina de Souza Santos, do quarto ano, para a Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, como bolsista do Programa Ciência Sem Fronteiras, do governo federal.

Capacitação de profissionais

Semestralmente, o COMPSI oferece treinamentos em tecnologias de programação de sistemas, infraestrutura de TI e gestão de projetos de desenvolvimento de software, sempre a partir de demandas apontadas por empresas e profissionais de TI.

Para facilitar o acesso a essas capacitações, são oferecidos descontos para alunos e ex-alunos do Univem.

Parcerias

O COMPSI mantém parcerias com instituições de ensino, como as FATECs e ETECs de Marília e região; centros e laboratórios de pesquisa de universidades públicas e privadas; órgãos de fomento à pesquisa; entidades como a ACIM (Associação Comercial e Industrial de Marília), FACESP (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo) e NDS Marília (Núcleo de Empresas Desenvolvedoras de Software de Marília); empresas de TI de abrangência internacional, como a Microsoft, a Oracle e a IBM.

Com a parceria com o LSI-TEC, ligado à Universidade de São Paulo (USP), por exemplo, está em desenvolvimento o projeto de um software de assinatura digital no padrão ICP-Brasil. O projeto envolve professores e alunos do Univem, que são contemplados com bolsas, e pesquisadores do LSI-TEC.

A parceria com o laboratório WINDIS, da Universidade Federal de São Carlos, envolve projetos nas áreas de Interfaces Tangíveis, Realidade Aumentada Móvel e Interfaces Naturais, gerando projetos de iniciação científica orientados de forma colaborativa entre professores dos dois laboratórios. Um exemplo é a Mesa de Interface Tangível, que tem sido destaque em eventos de Marília e região.

Já a relação com a Universidade Federal de Sergipe tem permitido que artigos científicos sejam publicados em revistas e congressos internacionais. Recentemente, professores do COMPSI participaram de um congresso de TICs voltadas para os megaeventos esportivos que serão realizados nos próximos anos no país.

Parcerias com instituições de classe e governamentais, como o NDS Marília, têm aproximado os alunos das oportunidades de estágio e contratação das principais empresas de software e TI da região.

Neste sentido, “a parceria com o Núcleo de Empresas de Software de Marília e Região (NDS Marília), tem aproximado nossos alunos das empresas da região e preparando profissionais com maior aderência às necessidades de mão-de-obra do mercado”, ressalta o Prof. Elvis.

Núcleo de Prática em Sistemas de Informação

O desenvolvimento de um novo software de controle de clientes para a NK Odontologia, empresa parceira do Grupo Jacto e que atua na prestação de serviços de prevenção odontológica, é um dos projetos em andamento no Núcleo de Prática em Sistemas de Informação do COMPSI.

O aluno Otávio Guilherme Arruda dos Santos, do terceiro ano de Ciência da Computação, um dos participantes do projeto com a NK, considera a oportunidade valiosa para sua formação. “O projeto está sendo uma grande porta que se abre para mim”, relata. Otávio diz que está colocando em prática as etapas de desenvolvimento de software, desde a análise de negócio até o desenvolvimento de Banco de Dados e RIA (Rich Internet Application).

Eventos

Nestes dois anos, o COMPSI realizou grandes eventos, como é o caso da Semana de TI e do FLISOL (Festival Latinoamericano de Instalação de Software Livre).

No âmbito científico, é organizado a cada dois o CITOS (Congresso de Inovação com Tecnologias Open Source).

Captação de recursos e investimentos

Um dos pilares do COMPSI e fator motivador de sua criação é a auto-sustentabilidade.
Neste cenário, foram adquiridos equipamentos, inclusive importados, para fomentar os projetos nas áreas de Interfaces Computacionais e Robótica Aplicada.

Recentemente, foram importados equipamentos de última geração para a implantação de um novo laboratório de hardware, com uso em aulas práticas nas disciplinas da área de Sistemas Digitais, bem como nas pesquisas desenvolvidas por alunos e professores nos laboratórios do COMPSI. “Isso permitirá a criação de projetos de qualidade nas áreas de robótica, automação e prototipação de hardware, melhorando a formação dos alunos e gerando publicações em eventos científicos de renome nacional e internacional”, destaca o Prof. Dr. Fábio Dacêncio Pereira, responsável pelo Núcleo de Apoio à Pesquisa e Extensão (NAPEx) do Univem e pela área de pesquisa do COMPSI.

Os recursos captados pelo COMPSI têm financiado a participação de alunos e professores em eventos científicos, o que contribui para a publicação de suas pesquisas em revistas de grande relevância.

Núcleo de Educação à Distância

O COMPSI criou o Núcleo de Educação à Distância (NEaD), que utiliza a plataforma open source Moodle.

O Prof. Ms. Leonardo Botega, responsável pelo NEaD, destaca que, no início, eram oferecidos treinamentos básicos sobre o próprio ambiente de EaD. “Logo, passamos a oferecer disciplinas de dependência e adaptação à distância que, em 2012, já abrangem todos os cursos do Univem. Futuramente, a perspectiva é oferecer outros níveis de curso, como treinamentos técnicos e corporativos e pós-graduação lato sensu.”

Confraternização

No dia 19 de maio, uma animada confraternização uniu alunos, professores e funcionários ligados aos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação para comemorar os dois anos do COMPSI.